Progresso!

Sem controle, que utilidade as “coisas” tem para nós? Ficamos a mercê das circunstâncias, sem poder.