Agora que as celebrações do ano-novo brasileiro terminaram (após o ano-novo chinês/lunar) podemos começar de fato 2019.

Embora o futuro pareça incerto, a nós individualmente cabe realizar com racionalidade e compaixão o que devemos e construir o que sonhamos.

Ainda que hoje em dia se sonhe menos, embora pareça que se dorme mais, vale a pena pensar no melhor. O melhor que se pode ser, o melhor que podemos fazer. Todos temos nossas cruzes para carregar, como diz o adágio popular.

Que tenhamos mais contatos com nossas ideias, que possamos experimentar e renová-las. Mais contato conosco. O resto, nos será dado por acréscimo.

Segura, peão!