Acabando o ano-novo brasileiro (também conhecido no Brasil como… carnaval) começamos enfim 2019 !

Quem sabe possamos ter nosso próprio calendário com contagem de anos em a.B. e e.B. – era Brasilis? Este seria o ano 519 da eB. Pouco prático (já temos um calendário gregoriano/comercial quase mundial), mas ajudaria a ter noção de que era estamos em relação aos outros países, afinal ao contrário de muitos outros, começamos -quase- do zero!

Inicia de fato a validade do governo eleito no ano passado. Traz ameaças, esperanças e expectativas. Quanto a isso pouco podemos fazer agora, senão viver o melhor possível com o que quer que se realize.

Isto posto, parece que este será um dos anos mais organizados que terei! Tem planejamento anual já da escola (este não dependeu de mim), de produção de arte (este sim), estou até um pouco espantado comigo mesmo! Além disto, neste ano me propus a investir/praticar mais arte (mais ilustração, claro). Uma fraqueza minha de muito tempo. Apesar de ter feito aulas de desenho artístico durante a infância e boa parte da adolescência, penso que não tinha “mente” na época.

Aprendi técnicas variadas (nanquim, sépia e sanguínea, pastel seco e oleoso, tinta acrílica, tinta a óleo, aquarela…) mas não refleti sobre nada delas. Simplesmente copiava e reproduzia da mesma exata maneira que aprendi.

Além de que em algumas teorias (cor, perspectiva) somente agora estou investigando e aprofundando. Eu fazia muita observação de naturezas-mortas como simples cópias. Só agora que estou “criando” composições, coisas um pouco afastadas da observação natural estou sentindo a falta da compreensão dessas bases.

Penso que assim as coisas realmente são. Você volta sempre ao mesmo ponto, do que depende sua evolução ou progresso é seu esforço em entender e aprofundar-se nesse ponto. E esse aprofundamento invariavelmente vai te levar pra cima. “Qualquer que seja o caminho, aquele que busca a Verdade não será abandonado” (acho que era assim, foi de cabeça :-P ).